PMBoK® 7ª Edição – A Consolidação das Metodologias Híbridas

PMBOK 7ª edição mudou para se adequar mais ao projeto, é uma quebra de paradigma total, focada mais nas entregas do que propriamente no processo para realizar as entregas.

Desde 1987, PMBOK orientava  o gerenciamento de projetos em torno de uma lista de processos de negócios. Com e adequação dos projetos em um ambiente de evolução rápida e constante.  A  7ª edição muda para um padrão baseado em princípios que prima pelos resultados do projeto.

Foram substituídos os grupos de processos de iniciação, planejamento, monitoramento, execução e encerramento, por Princípios de Entrega do Projeto, que podem ser adaptados de forma transversal nos projetos em qualquer situação, como por exemplo:

Liderança, Gestão da Mudança e Visão Holística.


Princípios de Entrega do Projeto:

Fonte: Draft do PMBOK Guide – Seventh Edition

Basicamente é a consolidação da tendência de metodologias híbridas que se adequam transversalmente ao projeto, abrindo a oportunidade de utilizar ferramentas e boas práticas que realmente são eficientes no projeto, sejam elas “tradicionais, ágeis ou inovadoras”.

Lembrando que conceitualmente Metodologias ágeis entregam produtos acordados no conceito de “Produto Pronto” com resultados de incrementos utilizáveis. Então, ser ágil não é fazer rápido, e sim, fazer certo com agilidade.

As 10 áreas de conhecimento deram lugar a domínios de performance:

Fonte: Draft do PMBOK Guide – Seventh Edition

Os Domínios de Performance, tem um toque tradicional do gerenciamento de projetos como das versões anteriores. Percebam que o planejamento, o ciclo de vida, os envolvidos têm uma similaridade com áreas de conhecimento e processos de gerenciamento. Acredito que o “Domínio Performance”, vai ter aderência a escopo e o “Domínio Navegando nas Incertezas” terá gestão de riscos, sempre considerando que os processos e documentos do modelo cascata serão adaptativos.

Com menos páginas  o livro, o PMI®  não deixará as ferramentas, e formulários a desejar, pelo contrário, isso será disponibilizado em uma plataforma online contendo todas as tabelas, ferramentas, fluxogramas que se adequarem  a aplicação das melhores práticas de gerenciamento de projetos como descritas no novo PMBoK® considerando que estejam adequados aos princípios e domínios de performance

De fato, na minha opinião o novo modelo veio para agregar e mostrar como as palavras “adequação e escalabilidade” podem ser utilizadas observando as características do projeto e principalmente o ambiente onde ele está inserido. O Gerente de Projeto passa a ser um protagonista de postura e aplicação prática de acordo com sua interpretação e conhecimento em gerenciamento de projetos de verdade.

Mas não se esqueçam … ainda tem que fazer as entregas para o projeto e seus envolvidos.

   

Publicado em: 14/02/20